Conjunto Habitacional IAPI Lagoinha, BH

Localização

Laranja, Centro de Belo Horizonte; vermelho, Avenida Antônio Carlos; azul, Lagoa da Pampulha; amarelo, IAPI Lagoinha. Montagem dos autores. Fonte: Google Earth, 2009.O IAPI Lagoinha situa-se entre os bairros São Cristóvão e Lagoinha de Belo Horizonte e entre a Avenida Antônio Carlos, que interliga o centro à região da Pampulha, e a Rua José Bonifácio. Possui em seu entorno boa infraestrutura e equipamentos urbanos, sua proximidade com o centro da cidade exigiu poucos recursos para sua urbanização.

Implantação

O IAPI inovou com sua implantação ao ser o primeiro conjunto habitacional na cidade feito com blocos verticais saindo do tradicional terreno com casas unifamiliares. Sua proposta de zoneamento também era ousada para os olhos destreinados da cidade; seu projeto abrangia áreas verdes circundantes e área de lazer central que alterava a relação público privado,existente nos lotes convencionais e trazia uma nova solução para articulação das unidades do conjunto. (CASTRIOTA, 2009)

Fonte: CASA, 1941 s/nA implantação do projeto original previa 11 blocos verticais destinados para 6.000 moradores entre trabalhadores da prefeitura e contribuintes do IAPI, entretanto apenas 9 blocos foram construídos que hoje abrigam aproximadamente 5.000 pessoas. O terreno escolhido para a implantação possui alturas diferentes, tendo sua cota mais elevada no final do conjunto fazendo com que fossem criadas duas passarelas que saem de duas unidades e se conectam com a rua do mesmo nível.

Pelas imagens acima é possível constatar como o projeto original do IAPI sofreu alterações perdendo grande parte de sua área verde e recebendo construções em sua entrada que bloquearam o eixo criado pela proposta original. Vale ressaltar que em conjuntos habitacionais europeus os equipamentos são previstos e instalados sem alterações de projeto e sem perda de área verde, ou seja, fazem parte do conceito inicial e não apenas foram alocados aleatoriamente.

A favela que existia no local, e foi removida para a construção do conjunto, realocou-se para a área ao lado do conjunto formando um cenário onde de um lado há uma importante avenida da cidade que recebe investimentos e possui uma adequada infraestrutura e do outro moradias precárias abrigando pessoas em situação de miséria.

Influências Arquitetônicas

O conceito de unir diferentes famílias em um bloco de apartamentos não mudava apenas o uso do lote trazia consigo embutido uma nova forma de convívio entre os moradores e o espaço. Idéia esta inspirada nos conjuntos habitacionais europeus, principalmente os Sidlung alemães.

As primeiras manifestações dos ideais modernistas para construções habitacionais são realizadas na Alemanha no período de pós guerra (1919-1933). Os “Siedlungs” da Alemanha queriam “conter” o crescimento da região metropolitana através de projetos controlados nas zonas periféricas da cidade; zonas essas que facilitariam o transporte gerando uma maior fluidez dos moradores. Além disso, os conjuntos habitacionais modernistas traziam o conceito de fazer sua estruturação através da função habitacional, ou seja, moradias próximas aos principais serviços e comércios necessários para a população. Outra característica marcante dos projetos eram as áreas verdes de circulação, as praças internas e varandas em todos os apartamentos.

A proposta do IAPI é, portanto inspirada nesses novos conceitos para conjuntos habitacionais quando traz áreas verdes circundantes, praças centrais, varandas nos apartamentos e a concentração de serviços junto das moradias.

Características Arquitetônicas

Portanto conviviam – não tão harmonicamente- duas arquiteturas em Belo Horizonte, na época da construção do IAPI Lagoinha, de um lado o Art Déco, classificado pelos modernistas vanguardiastas como historicista e do outro lado o Movimento Moderno com seus conceitos estabelecidos nos CIAM – Congresso Internacional de Arquitetura Moderna. O movimento Art Déco veio para o Brasil como sinônimo de modernidade e ganhou força na cidade, no entanto os adeptos do Movimento Moderno não aceitavam essa classificação. Segundo Castriota, da dualidade se originou o conjunto habitacional estudado que é classificado como protomodernista pré modernista influenciado então pelo Art Déco. Um protomodernismo que eliminava as ornamentações dos edifícios, propunha formas puras e espaços funcionais.

O projeto do IAPI Lagoinha é dos engenheiros White Lirio da Silva, José Barreto de Andrade e Antonio Neves, contudo não foram encontradas mais informações sobre os autores. A inauguração em 1748 repercutiu em todo país como possível solução para os problemas habitacionais do Brasil na época e em Belo Horizonte é considerado o caso mais expressivo de habitação popular. Na área interna do conjunto existe o espaço coletivo de lazer com praça, playground, quadras poliesportivas, Escola Municipal Honorina de Barros, Igreja São Cristóvão, comércio.

Como o terreno do IAPI possui desníveis os blocos do conjunto possuem níveis diferentes de altura, tendo unidades com 5,6,7 e 8 pavimentos que se interligam por passarelas entre si. Além disso as unidade mais ao fundo do terreno possuem passarelas que fazem ligação com as ruas ao lado do conjunto facilitando seu acesso.

Os 928 apartamentos estão divididos em cinco tipos que têm de um a três quartos com áreas de 60 a 120m². Todos os apartamentos possuem uma varanda – jardim, contudo com o passar do tempo os moradores fecharam essas áreas externas aumentando a área interna do apartamento.

Os apartamentos são organizados em torno de um pátio central e seu acesso é feito por escadas no seu exterior. A horizontalidade é fortemente marcada por faixas horizontais nas fachadas, acentuando a ortogonalidade do conjunto.

Referências Bibliográficas

Barci Castriota, Leonardo; Maciel Araújo, Guilherme. Patrimônio, valores e historiografia: a preservação do conjunto habitacional do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários – IAPI Arquitetura Unisinos, vol. 5, núm. 1, enero-junio, 2009, pp. 38-54 Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Disponível em: http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf/1936/193614469004.pdf

NERY, Juliana. O IAPI de Belo Horizonte – entre proposta social e propaganda ideológica. Artigo disponível em http://www.docomomo.org.br/seminario%206%20pdfs/Juliana%20Cardoso%20Nery.pdf Acesso em junho de 2011

JESUS, Rodrigo. Conjunto Residencial da Lagoinha: O Impacto da Construção de um Hof na Capital Mineira.Artigo disponível em: http://www.docomomo.org.br/seminario%203%20pdfs/subtema_A1F/Rodrigo_jesus.pdf Acesso em junho de 2011

Fernando Soares, Carolina Rios . IAPI Lagoinha de Belo Horizonte. Trabalho realizado para disciplina Teoria Urbana I, Curso Superior em Bacharel de Arquitetura e Urbanismo. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Junho de 2011. Florianópolis, SC.

About these ads

Uma resposta para “Conjunto Habitacional IAPI Lagoinha, BH

  1. ótima escolha do conjunto habitacional iapi e informações complementares, bem como indicação das referências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s